A regra dos 180 graus

A regra dos 180 graus é sem dúvida nenhuma, a regra mais básica, mais basilar da captação de imagens, e provavelmente a mais ignorada por vídeo amadores (e alguns profissionais também).

A regra dos 180 graus se refere à relação entre tempo de exposição por frame e efeito de movimento que advém, entre outras coisas, da taxa de quadros por segundo de um vídeo. É disso que trataremos hoje.

O que é a regra dos 180 graus

A regra dos 180 graus diz o seguinte:

Para o melhor efeito de movimento em um vídeo, o tempo de exposição do frame precisa ser o dobro da taxa de quadros.

O que isso quer dizer?

Se você estiver gravando um video para digital, de 30 fps (quadros por segundo), a velocidade do obturador da câmera precisa ser de 1/60 s (segundos).

Esta relação gera um efeito de persistência da visão dos frames em uma cadência ótima que faz com que o olho humano não consiga distinguir os frames individualmente e passe a ver um movimento contínuo dos objetos no seu filme.

Esta relação já foi estudada e testada desde o início da cinematografia, e é incrível como os videomakers amadores ignoram. Quando você vê um filme que não obedece a essa regra, você imediatamente percebe, e associa a video caseiro.

Como quebrar a regra

Mas, embora a regra dos 180 graus funciona e todo mundo deveria conhecê-la, isso não quer dizer que você precisa segui-la sempre.

Se você diminuir a velocidade do obturador, por exemplo em um filme de 30 fps você deixar o obturador em 1/30 ou 1/15, você começará a introduzir blur no vídeo, ou seja, embaçamento. Um efeito moderado assim traz uma atmosfera mais romântica. Com a cor certa, você pode emular épocas específicas de filmografia. Você também pode exagerar nesse efeito para trazer o sentimento de torpor e atordoamento.

Se você aumentar a velocidade do obturador, por exemplo no filme de 30 fps você configurar o obturador para 1/120 ou 1/240, você terá uma separação bem clara entre os frames, trazendo um efeito de movimento entrecortado, descontínuo. Você pode exagerar esse efeito em cenas de muita ação.

Ou seja, a regra dos 180 graus pode ser quebrada para trazer efeitos bem interessantes para nossos filmes, mas é preciso conhecê-la antes de quebrá-la!

Como configurar o equipamento

Conhecendo a regra dos 180 graus, então agora podemos configurar corretamente nosso equipamento.

Algumas configurações normalmente são definidas em nossa cena: a taxa de quadros, a lente, a abertura do obturador e o foco.

Por exemplo, imagine que em nosso projeto temos uma taxa de quadros cinemática de 24 fps.

A partir dessa taxa de quadros, encontramos a velocidade do obturador, que é de 1/48. Essa pode ser 1/50 caso a câmera não tenha esse valor.

Com 1/50, o diretor de fotografia precisa avaliar a exposição. Nesse sentido, de acordo com o triângulo de exposição, ele pode tentar aumentar ou diminuir a abertura da íris para controlar a quantidade de luz por quadro, mas como isso mexe na profundidade de campo, o mais comum é fazer o seguinte:

Conclusão

Neste artigo nós falamos sobre a regra dos 180 graus. Ela é essencial para a correta exposição do filme para dar o efeito de movimento, e mesmo assim, poucas pessoas a conhecem e a seguem. Esperamos que com esse artigo você passe a fazer vídeos mais profissionais.